19 de maio de 2009

{RPG e Educação}


RPG e educação

Tenho contato com RPG, mestrando e jogando, há 17 (dezessete anos), desde 1992. Sim, sou um nerd dos Dias Antigos, quando o mundo era jovem. E desde o ano 2000 comecei a acompanhar sua utilização na educação, quando foi lançado o livro da Andréa Pavão, que é sua dissertação de mestrado: “A aventura da leitura e da escrita entre os mestres de RPG” (PAVÃO, 2000).

Passei a acompanhar apenas como expectador do que era divulgado e fiquei bastante animado com algumas iniciativas como a série Mini Gurps, um projeto genuinamente nacional, onde livros de baixo custo com regras e ambientação no Brasil histórico ou sobre as Cruzadas no Oriente Médio foram lançados. Era o que eu apresentava para amigos e professores que se interessavam pelo assunto.

Nos anos seguintes, desde 2001, a vida com pouco tempo, devido às coisas fora do faz-de-conta, coisas do mundo real, como empregos e concursos, não pude acompanhar como gostaria, nem tão pouco fazer algo em Belém, minha cidade, sem saber por onde começar. Agora, no final de 2008, por conta de outra empreitada pessoal, iniciei uma vasta busca em bancos de dados acadêmicos e blogs de gente séria, madura e responsável, com ações envolvendo RPG e educação.

Bem, que coisa descobri: não há uma ‘receita de bolo’, o que é algo bom, pois qualquer um com vontade, bom senso e sensibilidade pode iniciar em sua cidade, em seu bairro.

Para quem mora em Belém, a Seduc tem um programa Escola de Portas Abertas, onde pode ser possível apresentar para a escola o RPG como soma à educação. Seguem aqui alguns links úteis:

Escola de Portas Abertas

http://www.historias.interativas.nom.br/educ/

http://www.jogodeaprender.com.br/

http://jaimedanielleandro.blogspot.com/2009/05/brincando-e-aprendendo.html

Há mais, basta procurar, além de buscar bibliografias relacionadas, mas o material acima já está de bom tamanho.

Gilson

- - -
Explicando RPG e Educação
Para entender o RPG e suas muitas aplicações na educação





8 comentários:

Bruno Chuva Vermelha Neves disse...

Faltou apenas citar os nomes de quem já faz este tipo de trabalho.

Gilson disse...

Eu teria que fazer uma solicitação para o pessoal responder, mas isso me restringiria a quem está nas listas de blogs e em alguns fóruns e sites do segmento, logo apenas quem está na internet e também nesses lugares. Professores já praticantes ficariam de fora, provavelmente.

E não acredito que todos perceberiam a postagem, até porque este blog não está sendo atualizado no agregador rpg.blog, então eu teria que perguntar de um por um, de qualquer forma, via comentários.

Mas é uma boa sugestão.

Gilson

John Bogéa disse...

Já tinha ouvido falar de escolas fora do brasil que já tinham adotado o RPG como base para ensinar crianças sobre história e geografia. Achei a ideia fantástica e gosto muito que isso esteja começando a acontecer aqui também.

Gilson disse...

Há várias ações há anos no Brasil. Mas como Belém tem as limitações de visão em diversos setores, não seria diferente.

O Bruno acima tem experiência em tentar iniciar, mas as barreiras são as mesmas mencionadas no link do blog do Jaime Daniel, que era da ONG Ludus Culturalis.

Atualmente não sei como está nos muitos cantos do Brasil e como escrevi acima, fica muito difícil saber.

Gilson

Extase disse...

Já disse que não sou nerd, nem sou dos dias antigos, mas jogo desde os dez anos já te disse, lá vão doze anos. Obs: não custa nada tu me avisares quando e onde será a mesa dos pingolas.

Gilson disse...

"obs: não custa nada tu me avisares quando e onde será a mesa dos pingolas"

Avisando, pela terceira vez, não tem dia nem horário definido. Basta ler as demais postagens na categoria relacionada.

Gilson

Anônimo disse...

necessario verificar:)

Gilson disse...

Já é verificado com mestrados e doutorados.

Gilson