19 de julho de 9000

Bibliografia RPG e Educação



Bibliografia de pesquisas de mestrado e doutorado no Brasil que abordam os jogos de RPG. Em atualização constante, 24 de agosto de 2018. Postagem fixada em primeiro.

ATENÇÃO!  Algumas pesquisas aqui apresentadas não tocam diretamente no tema dos jogos de RPG, que são caracterizados pela contação de histórias coletivas onde os participantes são autores e personagens das tramas. Aqui há também pesquisas que tratam de jogos eletrônicos, LARP, aventuras-solo e outros temas.

Esta decisão foi necessária para ampliar as relações entre os temas e objetos das pesquisas, que inevitavelmente se relacionam. Além disso, estas outras pesquisas podem gerar pistas investigativas.
[
continue lendo]

24 de fevereiro de 2024



Avatar - Resistência Elemental - Sistema Pé na Porta! no cenário da animação Avatar. Rebele-se contra a Nação do Fogo!

2 de maio de 2023

Ajudando iniciantes a jogar RPG


As pessoas não tem noção ao indicar jogos de RPG para iniciantes. Ao longo dos anos já li Dungeons & Dragons com inúmeras edições, Tormenta, Fate, Dungeon World, Shadowrun, Gurps, 3DeT. Todos, todos estes e outros tantos publicados são difíceis para quem nunca jogou e não tem alguém ao lado para orientar.

As fichas - por menor que sejam - carregam muita informação, além das demais questões centrais aos RPGs: não usa tabuleiro, todo mundo no mesmo lado, interpretação; e ao avançar mais: criar/mudar regras, rolagens secretas, suplementos que podem ou não serem usados, tabuleiro/representação das personagens apenas para determinadas situações, jogadores antagonistas, etc.

Uma sugestão mais eficaz é o ABC/RPG - Aventura • Bagunça • Caos, com poucas regras para ensinar grupos caóticos em ambientes extremos, ninguém espera a vez. Desenvolvido a partir de experiências com crianças cheias de adrenalina, baixe aqui.

20 de abril de 2023

Questões básicas ao atrelar os jogos de RPG ao uso na Educação


É vital saber o que o público gosta, não adianta enfiar um tema do currículo se eu posso ser um ninja da Aldeia Secreta da Folha, um super herói, etc.

O RPG com intuito educacional não precisa ser do currículo formal. Há dezenas de mestrados e doutorados no Brasil para fundamentar isso. Jogos de RPG fomentam as práticas de leitura, escrita e até pesquisa, mas não são a salvação da Educação. Há pessoas que são apresentadas aos RPGs e não gostam.

RPGs requerem a tal interpretação, direta ou indireta. Crianças e jovens ficam com vergonha, os jovens muito, muito mais.

Jogar em ambiente escolar - com muita gente - é outro desafio infernal. Não funciona, não funciona da maneira que jogamos com 3 a 7 pessoas. O ideal é separar em pequenos grupos para serem conduzidos separadamente.

Uma estratégia neste sentido é arregimentar as alunas e alunos mais interessados e treiná-los com o RPG para eles narrarem uma aventura pronta (seja atrelada ao currículo formal ou não). Mas quanto tempo para formar um mestre razoável, que inventa regra, que tem jogo de cintura, que dá a vez para todo mundo?

Se for possível, convide amigos do RPG para narrar neste primeiro momento, é o ideal. E separar em pequenos grupos. Depois você, enquanto docente, decide como conduzirá posteriormente.

Não use seu sistema de RPG favorito. Não funcionará. RPGs - por menor que sejam - carregam muitas informações nas fichas. Eu aprendi isso na prática, e desenvolvi um RPG para este objetivo. Segue aqui:

ABC/RPG - Aventura • Bagunça • Caos com poucas regras para ensinar grupos caóticos em ambientes extremos, ninguém espera a vez. Desenvolvido a partir de experiências com crianças cheias de adrenalina.

30 de agosto de 2022

Jogando com iniciantes e crianças


    De vez em quando deparo-me com dúvidas de alguém para narrar para iniciantes ou para crianças e as respostas são as mais sem noção possíveis, tais como “o D&D5e é bem simples”; “Tormenta é tranquilo”; “Dungeon World serve bem legal”; “Vai de D&D 3.5 que tem bastante opção”; “O jogo/sistema que você mais gosta”; entre outras no mesmo padrão.

Quem oferece este tipo de sugestão não tem um pingo de noção de quantas informações há numa ficha de RPG para quem nunca jogou RPG, ou simplesmente decidiu esquecer. Ainda criam parâmetro pessoal para justificar a obra “foi assim comigo”. (sic).

Por mais simples que seja, RPGs têm muitas informações nas fichas. E livros de trezentas páginas com valores bem caros pode fazer qualquer novato desistir. Por isso eu apresento o jogo mais simples possível, às vezes sem ficha, depende do público e da faixa etária.

É também importante ao narrar manter pequenas explicações de como é a essência do jogo:

“- vocês são uma equipe”;

“- eu estou interpretando o atendente do bar agora, antes era o segurança”;

“- vocês interagem/falam entre vocês agora”;

“- há duas maneiras de interpretar: falar as frases ou dizer o que deseja falar. Pode ser ‘venha aqui’ ou ‘digo a ele para vir aqui’.”

            Venho usando meu jogo ABC/RPG – Aventura, Bagunça, Caos para este propósito específico. Ele usa qualquer tipo de dado e até mesmo moedas, e todos podem ser usados ao mesmo tempo. Você pode ver ele no endereço ao final e outros RPGs pequenos, meus e de outras autorias.

            Ao final do jogo digo que há vários tipos e tamanhos de RPGs, que é possível jogar qualquer tipo de história.

http://rpgsimples.blogspot.com.br/p/rpg-basico-para-aprender-e-ensinar.html

 Gilson

3 de março de 2020

Sistema Fate material gratuito


Que tal conhecer o sistema Fate de graça? É um sistema extremamente flexível, além de ter poucas regras. É possível jogar em qualquer tema e ambientação: fantasia medieval, cyberpunk, terror, super heróis, cenários históricos, etc. 
Resumo do sistema aqui para apresentar para mais pessoas.

• Alguns cenários e possibilidades para Fate:

Personagens Fate para Star Wars aqui (feito no Brasil).


Shadowrun para Fate aqui (feito no Brasil), ficção científica e fantasia medieval no famoso cenário. Com Fate ficaram muito mais amigáveis as regras.



Personagens
Marvel e DC para Fate, e tradução de fã. Houve tradução do Icons - super heroínas e super heróis, mas a licença acabou. Foi traduzido pela Editora RedBox, atualmente chama-se Buró Brasil.


Jadepunk, jogo completo, cenário vaporpunk (steampunk) e artes marciais para Fate, aqui.


Cenário Evolution Pulse, ficção científica de terror, para Fate, regras rápidas aqui e prévia aqui. Para adquirir veja aqui (versão digital bastante acessível).



Fantasia medieval para Fate, conheça a adaptação do cenário do Magic: The Gathering, parte 1, parte 2 e parte 3.

Materiais diversos para Fate (Mouse Guard, Avatar, Cthulhu e mais!) aqui
.

Mais materiais diversos aqui.


Para quem quer publicar com Fate, comercialmente ou não aqui.
 
Prof. Gilson Rocha









22 de julho de 2018

Sobre publicação de RPGs nos tempos atuais


RPG em livretos

De Olivia Hill, tradução Hiram Alem com permissão da autora.
______

Então… design de jogos. Quanto mais eu exploro, mais eu sinto que ensaios e livretos funcionam bem melhor para o formato do que livros. O Manifesto Comunista foi um livreto de 80 páginas e conseguiu cumprir seu objetivo e além.

Quando eu trabalhava para a White Wolf eu insistia para fazermos Vampiro 5E como um livreto. 60–80 páginas. Com regras o bastante que você poderia, literalmente, imprimir em uma carta de baralho. Mas eu recebi respostas negativas por que “nosso público gosta de coleções.” Isso quer dizer que a jogabilidade e o foco precisavam ser secundários em relação à forma. A forma, nesse caso, tinha que ser um tomo com uma espinha que fosse imponente em uma estante e tivesse uma durabilidade de 20 anos ou mais e, talvez, fosse aberto apenas uma vez. [continuar lendo]